Era uma vez, uma jovem vinda de uma família de posses que vendeu tudo para dar aos pobres. Era uma vez, um jovem que passava as noites a orar e saía para ajudar os mais necessitados. Era uma vez, um jovem que foi enviado para o deserto e com devoção foi anunciando a vinda do Messias. Falamos de Santa Clara, São Ivo, e São João Baptista.

Todos os santos têm o seu tempo, e a cada tempo precisamos de diferentes santos.  E é neste tempo que Deus nos chama. Chama-nos com sinais que por vezes ignoramos. Por vezes passamos ao lado desses sinais, sem sequer olhar para eles. Estes sinais demonstram que precisamos de santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida neste tempo.

Precisamos de santos do presente! Precisamos de santos que bebam coca-cola, e que a dividam com que não tem e gostaria de ter. Precisamos de santos sem véu, nem batina, mas de calças de ganga prontos para caminhar ao lado do próximo. Precisamos de santos que comuniquem nas redes sociais, mas que nunca se esqueçam de conversar com quem se sente mais só.

Precisamos de santos em casa, nas escolas, nas empresas, no governo. Precisamos de santos que vão ao cinema, que comem pizza, que ouvem música pop!

A santidade é feita de sorrisos, de estender a mão. A santidade é a atitude de quem recebeu mais do que o que merecia e só tem como retribuir dando-se.  A santidade é possível para todos.

Precisamos de reconstruir o caminho para a santidade, olhando para o exemplo passado e para as necessidades do presente.

Precisamos de ti!