Aqui estou, Senhor
Nas margens do rio Jordão.
Para trás ficou o pó do deserto.
Para trás ficou o caminho solitário e triste que faz
Quem o trilha sozinho.
Procurei a água que tudo limpa, tudo cura, tudo transforma
E aqui estou.
Na outra margem a terra prometida
Onde corre leite e mel.
Aqui estou como árvore no Outono
Que se desnuda
Para que o meu Senhor possa nela florir.
Vem seiva que dá vida
E alimenta cada ramo do meu pequeno ser.
Vem água purificadora
Lavar-me de toda a mancha
Para que eu possa renascer.
Permite Senhor que eu mergulhe contigo nas águas do Jordão
E faça a travessia.
Que eu sinta a força avassaladora do teu amor.
Que eu seja o estalajadeiro que te abre a porta
Ou a manjedoura onde queres nascer.
Vem fazer de mim tua morada.
Vem acordar as estrelas e acender a minha noite.
Vem,Senhor que eu quero nascer contigo.