Prosseguindo com a iniciativa dos testemunhos em antevisão do aniversário deste ano, o ex-elemento hoje que nos traz o seu testemunho sobre o Adonai é o António Ribeiro:

“Se há muitos locais, estados ou cargos onde nós por vezes e durante algum tempo estamos, há outros onde nós pertencemos, onde nós somos! Por isso se diz SER Adonai! Muitos estiveram no Adonai, e alguma marca ficou, muitos outros SÃO Adonai. Penso ter a certeza que sou destes últimos porque o sitio ao qual pertencemos é o local onde conseguimos estar sempre, independentemente de lá não estarmos fisicamente.

Não se passa incólume pelo Adonai. Muito dificilmente se conseguirá passar por entre ”os pingos da chuva” sem se sair molhado. Eu gostei de ficar encharcado. O Adonai faz parte da minha vida desde os meus 19 anos, altura em que entrei na faculdade! Historicamente tudo estava posto em causa, todos achávamos que podíamos e devíamos fazer o que bem nos apetecesse, a Igreja passou a ser um lugar de velhas e beatas. O Adonai veio transformar tudo isto, e não apenas a nível local. Num censo realizado verificou-se que a Eucaristia das 12 horas na Igreja de Santo António em Barcelos era aquela em que a nível nacional mais jovens participavam! Com o Frei Júlio já um grupo de jovens pensava um pouco contra a corrente e queria mostrar que era possível ser cristão e “revolucionário”. Com a chegada do Frei Pojeira as coisas “descontrolaram-se”. A música e a facilidade em falar com os jovens arrastaram uma verdadeira multidão de jovens para Santo António. Começou então a desconfiança sobre o que representaria este aglomerado! Porque será que cada vez que alguém mostra diferença, e FAZ, aparecem sempre uns quantos fantásticos estúpidos persistentes que resolvem provocar, através da difamação? Foi o que tivemos de passar, mas sabíamos o que queríamos e sabíamos estar no caminho certo pois tínhamos por companheiros de viagem Cristo e Francisco de Assis. Mesmo com alguns receios avançamos e era bonito sentir no dia a dia que era ali que queríamos colocar o nosso afeto e viver intensamente muitas vezes com uma tão boa insanidade, que chegava a ter o poder de uma dependência, mas daquelas de quem efetivamente quer, somente por que gosta de sonhar e poder dizer e realizar. Muito se fez para conseguir criar uma imagem que ultrapassou as desconfianças e calou os críticos profissionais. A história do Adonai continua a ser feita, quase sempre de momentos gloriosos, sempre de coragem e de determinação com jovens corajosos que, como no início, se atrevem a ir contra o status quo irritando muita gente. Mas, permitam-me dizer, nada se compara com o prazer, e até mesmo, confesso, o prazer de irritar os “velhos do Restelo”, e aqueles que acham que podem mandar em nós, que se acham os “donos” disto tudo, por pretensa hierarquia ou presunção. Por tudo isto, e agora a presunção é minha, SOU Adonai. Quando olho para trás sinto que o que nos deu forças foi ,para além de gostarmos de estar juntos, as sinergias que se foram criando sempre com um objetivo comum: viver e ajudar a viver Cristo a exemplo de Francisco de Assis. Apenas me ficam as saudades do que não fiz.

Atualmente, com elementos já de segunda e até terceira geração, a fasquia vai ficando cada vez mais alta! Como fundador, tenho o privilégio e a felicidade de ver que o grupo foi capaz de evoluir não renegando, aprimorando até, as suas raízes. Sentindo-me plenamente representado por todos, reafirmo o meu orgulho de SER Adonai (pelo menos tento) e espero que, tal como vocês, os próximos façam justiça ao presente que vocês estão a construir. Parabéns e bem hajam!”

Faltam 6 dias!